“Sou insuportável e prefiro não me apegar. Mas se por acaso um dia eu te disser que gosto de alguém, serão as palavras mais sinceras que você terá escutado.”
— Sean Wilhelm.
unpredictable.
home ask mine utube inst.
REVOLUCIONOU©
+
No se puede callar cuando se siente.
Fiodor Dostoievski   (via oxigenio-dapalavra)

Eles também brigam, batem portas e saem por aí. Mas voltam rindo da cara um do outro e dizem coisas como “não consigo ficar bravo contigo.
Gabito Nunes.   (via autorias)

faeryhearts:


Photography: Faery Tea Set, by Twig And Toadstool.



kissmeok:

♡Love/Couples♡


Que a força do medo que tenho não me impeça de ver o que anseio. Que a morte de tudo em que acredito não me tape os ouvidos e a boca, porque metade de mim é o que eu grito, mas a outra metade é silêncio. Que a música que ouço ao longe seja linda ainda que tristeza. Que a mulher que amo seja pra sempre amada, mesmo que distante, porque metade de mim é partida, mas a outra metade é saudade. Que as palavras que eu falo não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor, apenas respeitadas como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos, porque metade de mim é o que ouço, mas a outra metade é o que calo. Que essa minha vontade de ir embora se transforme na calma e na paz que eu mereço e que essa tensão que me corrói por dentro seja um dia recompensada, porque metade de mim é o que penso, mas a outra metade é um vulcão. Que o medo da solidão se afaste e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável. Que o espelho reflita em meu rosto num doce sorriso que eu me lembro ter dado na infância, porque metade de mim é a lembrança do que fui, a outra metade não sei. Que não seja preciso mais do que uma simples alegria pra me fazer aquietar o espírito, e que o teu silêncio me fale cada vez mais, porque metade de mim é abrigo, mas a outra metade é cansaço. Que a arte nos aponte uma resposta, mesmo que ela não saiba, e que ninguém a tente complicar, porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer, porque metade de mim é platéia e a outra metade é canção. E que a minha loucura seja perdoada, porque metade de mim é amor, e a outra metade também.
Oswaldo Montenegro.  (via oxigenio-dapalavra)

Que a força do medo que tenho não me impeça de ver o que anseio. Que a morte de tudo em que acredito não me tape os ouvidos e a boca, porque metade de mim é o que eu grito, mas a outra metade é silêncio. Que a música que ouço ao longe seja linda ainda que tristeza. Que a mulher que amo seja pra sempre amada, mesmo que distante, porque metade de mim é partida, mas a outra metade é saudade. Que as palavras que eu falo não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor, apenas respeitadas como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos, porque metade de mim é o que ouço, mas a outra metade é o que calo. Que essa minha vontade de ir embora se transforme na calma e na paz que eu mereço e que essa tensão que me corrói por dentro seja um dia recompensada, porque metade de mim é o que penso, mas a outra metade é um vulcão. Que o medo da solidão se afaste e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável. Que o espelho reflita em meu rosto num doce sorriso que eu me lembro ter dado na infância, porque metade de mim é a lembrança do que fui, a outra metade não sei. Que não seja preciso mais do que uma simples alegria pra me fazer aquietar o espírito, e que o teu silêncio me fale cada vez mais, porque metade de mim é abrigo, mas a outra metade é cansaço. Que a arte nos aponte uma resposta, mesmo que ela não saiba, e que ninguém a tente complicar, porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer, porque metade de mim é platéia e a outra metade é canção. E que a minha loucura seja perdoada, porque metade de mim é amor, e a outra metade também.
Oswaldo Montenegro.  (via oxigenio-dapalavra)

Eu sei que dói. É horrível. Eu sei que parece que você não vai aguentar, mas aguenta. Sei que parece que vai explodir, mas não explode. Sei que dá vontade de abrir um zíper nas costas e sair do corpo porque dentro da gente, nesse momento, não é um bom lugar para se estar.
Caio Fernando Abreu. (via sou-inseguro)

Eu não sei o que eu tô fazendo, mas tenho que fazer. Aquela noite que eu te conheci, acho que nunca mais vou esquecer. Um momento quase perfeito inocente em seus defeitos, tudo que é bom dura pouco e não acaba cedo. Eu disse vambora tô meio tonto preciso respirar lá fora, me leve para sua casa eu quero dormir onde você mora. Eu passando mal e você ria, tanto barulho eu não entendia, mas concordava sem saber com tudo que você dizia. Se me pedisse pra pular de um prédio eu diria sim, qualquer coisa pra você gostar de mim. Eu perdi o rumo e comecei a delirar, acho que prometi até parar de beber e de fumar, de repente a noite acaba e todo mundo some, eu me lembrei que esqueci de perguntar o seu nome. Sem endereço sem direção, por onde começar? Qualquer coisa pra poder te encontrar. Eu não como, eu não rio, eu não sei o que é adormecer, me desculpe se eu fechar os olhos e desaparecer. Agora pra sempre foi embora, mas eu nunca disse adeus.
Capital Inicial. (via autorias)

drouxer:

Caramba igualzinho